sábado, 28 de maio de 2011

O casamento... A mágica da FOTOGRAFIA

Todos nós sabemos que o que sobra depois de tanto tempo de
planejamento e de dedicação ao casamento, além das
lembranças, são as fotos.
Eu queria um fotógrafo muito bom. Mas infelizmente,
não tínhamos orçamento para isso.
Então, faltando 1 mês para o casamento, eu tomei
uma decisão drástica e arquei do meu bolso, a contratação
de uma super, mega, linda e maravilhosa fotógrafa, a Sharon.
Na verdade, só fiquei sabendo que seria ela a fotografar
o meu casamento uma semana antes. Explico: quando fui
ao escritório, eu conversei com a Fernanda. Elas são sócias,
fofas, queridas demais. O trabalho delas é incrível.
A qualquer hora, em qualquer situação. Eu, que sou super
tímida, sou louca pra fazer ensaio, trash the dress, tudo
o que eu pudesse com elas...
Bem, com a Sharon, veio também a Giselly, outra querida.
E posso dizer que tive muita sorte. Me senti super a vontade.
Pedi para não se limtarem a poses, que queria as fotos mais naturais possíveis.
As fotos são lindas, únicas, especiais e falam por si.














Agradeço a elas muito por esses momentos.
E indico demais, nem que seja somente para acompanhar
a vida e carreira dessas meninas lindas.

http://www.fernandapetelinkar.com.br/blog/

domingo, 22 de maio de 2011

O casamento... Detalhes

Sumidíssima, eu sei.
Mas a correria é tanta...
Daqui há 10 dias começam as provas. Ai, meu Deus.
E eu precisei formatar o meu micro, uma confusão, só.
Mas, vamos lá.
Deixa ver se eu consigo começar a contar sobre o casamento

Eu me casei em outubro do ano passado, depois de 1 ano de preparativos.
Desde o começo, eu tinha muito claro o tipo de festa que gostaria, até porque
eu sabia que o Alê não era muito fã, então eu queria fazer de um modo que ele
se sentisse super a vontade, porque, afinal, este dia era dele também.
O que eu queria, desde o começo, era um ambiente aconchegante, onde
todos se sentissem a vontade. Não queria nada muito tradicional nem com toda
aquela "pompa" de uma cerimônia de casamento. Sou super tímida e só de me
imaginar entrando em qualquer lugar com todos olhando exclusivamente para mim,
já me deixava em pânico. Então, cortei essa parte do planejamento. E assim,
também, convenci o Alê quanto ao tom que eu queria dar à festa, e ele adorou.
Então, quando os convidados chegassem, nós 2 estaríamos já lo local para receber
a todos. O que já, por si só, foi uma grande surpresa para os convidados.

Priorizamos boa comida. Quero dizer, comida gostosa, onde cada um pudesse
comer à vontade. E isso se estendeu aos doces e bem casados, onde, depois de
muitas degustações atrás de preços baixos, a 1 mês antes do casamento,
decidi pelos doces da Carol Melo  e os bem casados da Célia. As 2 eu conheci
no aniversário de 1 ano do blog Vestida de Noiva, da querida Fernanda Floret
que, inclusive, me deu a honra da sua presença no meu casamento. Não
eram baratos, mas eram deliciosos. Percebi que em certas coisas não dá
pra economizar e doces e bem casados são algumas delas, pois são coisas
que todos esperam.

Os doces deliciosos...
... da Carol Melo

A mesa do bolo e doces.


A escolha do buffet foi bem difícil. Nós não podíamos gastar muito
e eu tinha aflição daqueles salões fechados, brancos, frios.
Mas também não podia alugar um sítio nem queria fazer nessas chácaras
que ficam longe de tudo. Nossa área de procura era bem restrita.
E mesmo sendo um pouco mais longe do que queríamos, cheguei até
o Buffet Napoleão em São Bernardo do Campo. O buffet era uma delícia,
com bastante verde, bem aberto, todo iluminado a meia luz, a luz de velas
(que a minha fotógrafa odiou, mas tudo bem...).



O bom é que o buffet não pedia muita decoração para ficar lindo.
Então eu pedi flores somente como um complemento e não como o foco principal,
sem exageros. Assim o orçamento não ficou tão caro.
E, para baratear um pouco mais, eu dei vidros decorados para a
decoradora usar no lugar dos vasos de vidro. Eu os juntei durante 1 ano,
eram de tudo o que se poderia imaginar, molho de tomate, champignon,
azeitonas, garrafas, etc... Comprei uma rendinha de crochê na 25 de
Março e apliquei aos vidros. Adorei o efeito. Me surpreendi ao chegar
ao salão. Ficaram lindas. Escolhi flores brancas e toalhas marrons.
A decoração foi feita pela própria dona do buffet, a Regina.



A papelaria ficou a cargo da Melina, da Carinhas Personalizadas. Usamos
a nossa carinha no convite, nos cardápios e marcadores de mesas, e as
dos meus gatos nos bem casados.

As carinhas dos meus gatos
nos bem-casados da Célia
Nossa carinha no cardápio

No lugar de retrospectiva, que consumiria uma parte da festa e com
a qual ficaríamos super envergonhados, eu fiz uma cortina de fotos,
com fotos desde o casamento dos meus pais e dos pais do Alexandre,
até fotos da nossa história juntos.


Estes foram alguns detalhes que tornaram este dia muito especial.
Logo, logo, volto com mais...

domingo, 1 de maio de 2011

E no final... Portugal (II)

Como eu disse no post anterior, meu objetivo em Portugal não era fazer turismo.
Então, nossas paradas foram, basicamente, para visitar a família.
Mas, se tem um lugar que eu adoro e não deixo passar
é Belém, em Lisboa. Adoro a Torre de Belém. Foi a minha
primeira referência visual de Portugal, quando eu ainda era criança.
Um dos tios do meu pai tinha um pôster dela no seu apartamento.
Em Belém também está o Mosteiro dos Jerônimos, que é um prédio lindíssimo,
e claro, os famosos pastéis de Belém, que eu AMO e não tinha como não passar
lá na doceria mais famosa da região e comer um (ou meia dúzia...)


A Torre de Belém

O mosteiro dos Jerônimos

O melhor de todos
O pior, é que quando estou com meus tios e meus primos, eu me sinto tão à vontade,
tão em casa, que eu esqueço que o tempo é curto e que vai passar,
e eu esqueço de tirar fotos...
Mas em um jantar da casa do meu primo, lembrei e tirei umas desta vez.
Eis aqui a minha maior alegria.
Tanta saudade...

Os filhos do meu primo, Carolina e Tomás
Crianças lindas, educadíssimas, carinhosas demais

Eu e a Guida, esposa do meu primo,
prima querida

O meu primo Pedro e a filha, Carolina
Estive em Portugal em 1997, quando os conheci, e em 1999 para o casamento deles.
Voltei agora, depois de 11 anos. Tampo demais.
Prometi que nunca mais demoraria tanto.
Ano que vem estarei lá de novo.
Já estou programando.

Bem, aqui acaba a minha odisséia. Foram 52 dias pela Europa.
Dias e experiências inesquecíveis.

Já estou planejando as próximas.
Viajar é muito bom...