domingo, 10 de abril de 2011

Amsterdam

Quase chegando ao final da minha odisséia.
Chagamos a Amsterdam de Bruxelas, ainda de trem.
A cidade é uma graça, mas eu fiquei um pouco decepcionada com o lixo que vi,
tanto nas ruas quanto no canais. Uma pena.
Fizemos um passeio de barco pelos canais, que vale a pena.
Centenas de casas-barco. Algumas lindas.


As bicicletas...



Como eu já disse antes, não sou uma pessoa de museus,
então em Amsterdam não fomos a nenhum...
Me concentrei em andar pelas ruas e pelo que eu achava que
era o diferencial da cidade, os canais...





No segundo dias, fizemos uma passeio para fora da cidade para conhecer os moinhos.
Juro que quando eu lembrar o nome da cidade eu volto aqui para atualizar.
O passeio eu agendei direto no hotel no dia da chegada, e no dia seguinte
vieram nos buscar. Fomos de ônibus. A guia falava em inglês e mais uma vez
eu tive que ir traduzindo pra minha mãe. Foi muito interessante ouvir
sobre o país, de como fizeram para drenar água e criar campo para construir
e plantar. Fomos também até uma fábrica de tamancos e de queijos.
Super turístico, mas muito legal.





Daqui seguimos de avião para o Porto em Portugal.
E acho que no aeroporto de Amsterdam passei pela situação mais
embaraçosa, dramática e divertida da viagem.
Acontece que, quando saímos do Brasil, saímos cada uma com uma mala de mão
e as 2 malas despachadas tinham cerca de 18kg cada uma.
Eu sabia que cada uma podia viajar com 2 malas, mas eu não lembrava já com
certeza do peso. Ou eram 23 ou 32 kg (eu sempre acabo invertendo).
Muito bem, chegamos ao Aeroporto, graças a Deus, com umas 3 horas
de antecedência e 2 malas cada uma. Ao passar pelo check in, a atendente me diz
que só era permitido 1 mala despachada por passageiro. Isso realmente é verdade
pois as viagens dentro da Europa são consideradas domésticas.
Mas eu sabia que isso não se aplicava a nós, e até por isso,
ao comprar as passagens, optei por não comprar os trechos internos com
empresas low cost. Mas a atendente não acreditava em mim, apesar de eu dizer
que eu tinha saído do Brasil. Depois de muito tempo, outra atendente resolveu checar
o meu bilhete  e viu que eu realmente tinha razão e que eu tinha mesmo
direito a 2 malas de 23 kg cada. Não satisfeita, como
eu tinha uma mala com mais e outra com menos, ela me fez abrir
todas as malar e realocar a bagagem de modo que eu ficasse
com no máximo 23kg nas malas. No meio do aeroporto.
No final deu tudo certo. Depois ainda consegui checar com a TAP que,
na verdade, eu tinha direito a 2 malas de 32kg...

2 comentários:

  1. Oi Cristiana!
    Que cidade linda! Que arquitetura e estes moinhos, maravilha de viagem. Ainda nao conheço, mas sei que vou, se Deus quiser! Bjo, boa semana e uma Páscoa maravilhosa junto à sua família!

    ResponderExcluir
  2. Oi Valéria.
    Tudo vale muito a pena.
    Eu sou suspeita, pois sou apaixonada pela Europa. Quando puder, vá mesmo.
    Muito obrigada uma feliz Páscoa pra vc tb.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir