sábado, 12 de fevereiro de 2011

Em casa... Rock!

Antes de chegar a Paris, vou dar uma passadinha em casa
para lhes apresentar o meu mais novo, o Rock.
O Rock não era pra ser meu.
Um vizinho, um dia, bateu em casa pedindo
pra eu tomar conta de uma mãe e 3 filhotes
por uns dias, enquanto procurava um lugar pra colocar
pra adoção. Eu, como não sei falar não, deixei.
Seria mesmo por pouco tempo.
Eu já tinha os outros 4, então, para não deixá-los
juntos, cloloquei-os fechados em um quarto que eu
não usava. Eu não pretendia ficar com mais
nenhum mesmo. Eu tinha um amigo que esposa
gostava muito de gatos e liguei pra ver se ele não
queria 1 pra ela. Ele concordou e eu fiquei muito feliz.
Escolhi o Rock pra ele (era o mais fofinho, e tinha
um focinho tão cor-de-rosa que eu não resisti).
Tirei ele da mãe, dei banho, coloquei remédio pras pulgas
e deixei ele, limpinho, junto com os meus. Dormiu, comeu...
2 dias depois, o dia combinado para eles virem buscar, a
esposa desse meu amigo me ligou dizendo que tinham mudado
de idéia. Chorei muito. Eu já tinha visualizado pra ele uma vida
totalmente diferente, muito boa e feliz. A amizade acabou
naquele dia. Entreguei os outros, todos castrados pra adoção
e adotei mais um, pois eu não tinha coragem de tirar ele do
conforto que eu já tinha dado.

Ele é todo cheio de manha. Sempre que dorme, apoia
a cabeça em alguma coisa que faz de travesseiro...

O focinho cor-de-rosa continua lindo...


Ele abre a gaveta, tira os panos e deita lá dentro...

Dorminhoco demais...




No dia do casamento
Agora fica faltando eu apresentar minhas 3 meninas.
Mas antes, Paris...

2 comentários:

  1. Oi Cristiana!
    O Rock é uma fofura!
    Você gosta mesmo de um gatinho, heim?

    ResponderExcluir
  2. Oi Valéria.
    Gosto muito.
    Tenho 5. E se não fossem
    2 pequenos detalhes(espaço e $$$),
    com certeza teria mais...
    Obrigada, mais 1 vez, pela sua visita.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir